quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

GLOBO RURAL COMEMORA ANIVERSÁRIO COM PROGRAMA SOBRE CORDEL


No próximo dia 02 de janeiro de 2011, o Globo Rural completará 31 anos de existência, e para festejar essa data tão importante, a produção do Programa dedicou-o inteiramente ao cordel. Buscaram fazer um mapa dessa arte no Brasil, para mostrar suas diversas faces. Entrevistaram poetas, pesquisadores, ilustradores e amantes do cordel em geral, por isso certamente, o programa está imperdível. Não deixem de assistir, é no próximo domingo, às oito horas da manhã pelo horário de Brasília.

domingo, 28 de novembro de 2010

SALVADOR EM CORDEL - Capa definitiva


SALVADOR EM CORDEL - Rouxinol & Varneci

MINHA PRIMEIRA PARCERIA COM O POETA ROUXINOL DO RINARÉ - O livro faz um passeio pela história, personagens, pontos turísticos e patrimônios de Salvador, capital da Bahia. Ricamente ilustrado por fotos e gravuras.

EDIÇÃO que integra a coleção CAPITAIS BRASILEIRAS EM CORDEL da Editora IMEPH.
EM BREVE NAS MELHORES LIVRARIAS DO PAÍS!!!

CONFIRAM A INTRODUÇÃO:

Oh! Musa de Castro Alves
Revela-nos teus arcanos
Pra viajarmos na história
Desde os mais remotos anos
Descrevendo a capital
Dos soteropolitanos.

Que o Senhor do Bonfim
Venha nos servir de guia
Nos inspirar belos versos
Repletos de poesia
Pra cantarmos Salvador
A capital da Bahia.

http://fotolog.terra.com.br/rinare:107

sábado, 27 de novembro de 2010

MEMBROS DA CARAVANA DO CORDEL NA UNIFESP


A convite da pesquisadora Francisca Batista, estudante da Unifesp, (Capus de Guarulhos) membros da Caravana participaram de evento literário na universidade. Na tarde do dia 24/11 Moreira de Acopiara proferiu palestra sobre a arte do cordel e a noite os poetas Costa Sena, Cacá Lopes, Nando Poeta, João Gomes e eu fizemos o enceramento do evento com muita música e poesia.

sábado, 20 de novembro de 2010

FESTIVAL DO LIVRO E DA LITERATURA DE SÃO MIGUEL PAULISTA


Os membros da Caravana do Cordel, Cacá Lopes, Costa Sena, João Gomes de Sá e eu, participaram de evento literário em São Miguel Paulista. Enceramos o Festival na Praça do Forró com um bate papo sobre cordel feito por João e eu e com música apresentados pela Costa e o Cacá. Foi um momento primoroso para oportunizar o cordel para as pessoas que ainda não tiveram contato com essa arte. Promovido pela Fundação Tide Setubal o evento teve o intuito de promover a disseminação da leitura e da cultura, alem de oficinas, contação de história etc. O Ônibus Biblioteca também se fez presente e nós como oficineiros deste veículo importante de leitura estávamos lá levando o cordel que se espalha por essa cidade.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

CORDEL ENCANTA CRIANÇAS DE SOROCABA



O cordel se espalha por todo o Brasil. Prova disso é que no último 16/11 estive em Sorocaba para me encontrar com as crianças do CEI 10 de daquela cidade. Tudo começou a partir de minha afilhada Mariana de 6 anos que levou os livros de cordel para a professora Edilaine Savioli e ela trabalhou esse gênero literário e encantou as crianças com os livros Os Animais têm Razão de Antônio Francisco, O Pequeno Polegar e A Branca de Neve de minha autoria e a Lenda do Saci de Marco Haurélio. As crianças e a professora pediram, Mariana prometeu e ontem fui pagar a promessa nessa simpática escola que me acolheu tão bem. Agradeço a todos pelo carinho e atenção.

domingo, 14 de novembro de 2010

ANIVERSARIO DA CARAVANA DO CORDEL


Numa festa muito alegre, a Caravana do Cordel completou dois anos e comemorou na Biblioteca do Memorial da América Latina. Repleta de atrações, o evento contou com a presença de vários poetas componentes do grupo. A festa foi recheada de música, homenagens, documentário da Caravana. Enfim foi um evento onde pudemos ampliar o contato ainda maior com o público apreciador do cordel, este que também é parte integrante da Caravana. Obrigado a todos que compareceram a este primoroso evento.


HISTÓRICO DA CARAVANA DO CORDEL

A existência do cordel remonta mais de um século de história, que começou a ser construída por Leandro Gomes de Barros, Silvino Pirauá de Lima, Francisco das Chagas Batista e outros poetas que abraçaram esse estilo literário, que desde o início encantou diversas pessoas e atravessou gerações até chegar os nossos dias.

Nascida no chão seco e árido do Nordeste, aproveitou-se disso para se encher de beleza e encantamento, emocionar leitores e conquistar corações. Embora seus criadores sejam paraibanos é na cidade do Recife que ela ganha corpo e começa a ser divulgada nas primeiras publicações de seu criador e João Martins de Ataíde, o maior editor de sua época.

Atravessou os anos com maestria e beleza, pariu novos poetas e buscando terras longínquas chegou ao sul e sudeste do país. Em São Paulo, devido à grande quantidade de migrantes nordestinos, fincou raízes e conseguiu a custa de muita luta dos poetas, que antecederam os que hoje formam esse grupo, que ora se reúne, para se congratular e festejar com as pessoas que admiram e consomem esta arte. Entre os desbravadores na divulgação do cordel na Paulicéia jamais poderíamos deixar de citar Antônio Teodoro dos Santos, que imprimiu não só folhetos de cordel, mas uma marca indelével para esta literatura no Brasil. E numa época mais recente Franklin Maxado que deu sua contribuição para o conhecimento dessa arte nessa imensa metrópole.

Quiseram os agoureiros levá-la ao ostracismo, mas a luz que nasce para brilhar nem mesmo um cataclismo conseguirá apagá-la, por isso o cordel que nunca esteve nas cinzas, continuou forte e resistindo aos ataques injustos e pechas que muitos pseudos-estudiosos quiseram enquadrá-lo.

Com a presença marcante de diversos poetas que faziam um trabalho independente na paulicéia, surgiu a necessidade de se reunirem em torno dessa arte que é mais forte do que o tempo e os seus próprios autores, visto que atravessou todos os movimentos literários brasileiros, que deixaram poucos rastros de existência ou apenas páginas hoje empoeiradas pelo tempo.

Aos poucos foi sendo gestada no ideário dos poetas a possibilidade de se reunirem em torno um denominador comum, o cordel ainda que todos fizessem trabalhos independentes. A poesia que muitas vezes surge no solitário dos poetas quer ver solidária com a sociedade, ou seja, pede incessantemente que seja levada aos ouvidos de todos os que são ávidos por lhe escutar.

Os cordelistas com a frequência antenada, em quem os escolheu para dá vida e colocá-la a serviço do mundo, naturalmente começaram a falar na necessidade de se formar um grupo mais articulado em torno do cordel, que os escolheu para serem seus divulgadores na cidade de São Paulo e no mundo.

Em agosto de 2008 foi lançada em uma edição especial, no teatro Tuca – PUC - SP a revista Cultura Crítica falando somente de cordel, e nessa oportunidade boa parte dos bardos puderam se apresentar e sentir que estava na hora de uma ação mais arrojada em prol dessa arte.

A maioria dos cordelistas já vinha sendo editados pela Editora Luzeiro, casa publicadora de maior atividade no ramo cordeliano e nesse ínterim também surgia a coleção clássicos em cordel da Nova Alexandria. Nos dias 7 e 8 de novembro de 2008 era realizado em Guarulhos o Primeiro Salão do Cordel, evento de grande êxito com ampla divulgação na mídia, foi mais um momento de fortalecimento e de engrossar o caldo da certeza que era necessário criar algo mais substancial.

Já se realizava muitos eventos em grupos. Por exemplo, dois poetas receberam o título de cidadão São Bernardense e Paulistano e a maioria dos seus confrades foram prestigiá-los, mesmo que não conhecesse o homenageado, mas como quem mandava um recado: “eu estou aqui nesse momento importante para você, mas muito mais para o cordel que lhe concede o título que ora recebe.”

A presença e a vontade de caminhar juntos era visível mesmo que cada um tivesse a sua trajetória solo por assim dizer. E aqui, acolá surgia a manchete: “grupo de cordel se apresenta” ou “poetas cordelistas se juntam em evento” e diante dessas chamadas genéricas aparecia também à necessidade de um nome que a princípio foi sugerido CABROEIRA DO CORDEL, denominação que pareceu não soar bem aos ouvidos sensíveis a melodia das palavras.

A gestação continuava, e a espera de um lançamento também. Um confrade nosso veio da Bahia lançar um cordel sobre o carnaval e mais uma vez o grupo estava firme como uma rocha e clamando o nascimento do filho que o representasse. A partir desse evento ocorrido em fevereiro de 2009 começou se articular um grupo de sete poetas, dando duas interpretações ao fato a saber: conta de mentiroso e um número perfeito nas sagradas escrituras.

Não por vontade do grupo, mas os sete que se reuniram e traçaram as metas da Caravana do Cordel são todos nordestinos de estados diferentes, exceto dois. Peço a gentileza que após mencionado o nome, este fique de pé: Pedro Monteiro é do Piauí e tem dois cordéis publicados, Chicó o Menino das Cem Mentiras e João Grilo um Presepeiro no Palácio, Costa Senna é cearense e de suas publicações lembramos A Maldita Ilusão e Ou dá ou Desce. Nando Poeta vem do Rio Grande do Norte e entre suas obras citamos Mulheres em Luta e A Turbulência Econômica. Cacá Lopes é pernambucano, já lançou O Matuto Zé Ruela e a Invasão do Estrangeirismo. João Gomes de Sá é alagoano e publicou A Briga de Zé Valente com Leide Catapora e O Corcunda de Notre-Dame. Marco Haurélio é baiano e entre outras obras lançou A Megera Domada e O Herói da Montanha Negra e Varneci Nascimento nasceu na Bahia e já publicou O Massacre de Canudos e Memórias Póstumas de Brás Cubas.

A Caravana do Cordel nasce para agregar o maior número possível de homens e mulheres que amam o cordel e por isso, foram se achegando e engrossando o feixe: Aderaldo Luciano, Cícero Pedro de Assis, Josué Gonçalves, Evânio Teles, Moreira de Acopiara, Benedita Delazari, Cleusa Santo, Assis Coimbra, Aldy Carvalho, Eufra Modesto, Jocélio Amaro, Jackson Ricarte, Luiz Wilson e no entender do grupo quem se identificar com o cordel é também parte integrante dessa Caravana. Nesse ajuntamento não poderia prevalecer outra coisa, senão a poesia, fim precípuo de sua criação.

De fevereiro até sua apresentação oficial passaram-se quatro meses, pois o grupo só seria lançado formalmente no dia 04 de julho de 2009 trazendo a lume três novos cordéis: O Cordel do Trava Língua, de Cacá Lopes, Lampião e seu Escudo Invisível, de Costa Senna, e Delicadezas do Mundo, de Fábio Freire.

O espaço escolhido e encontrado não poderia ser melhor, no Centro da cidade numa rua super conhecida e de grandes manifestações culturais, intitulado de CINE CLUBE, RUA AUGUSTA – 1239. Nesse local a Caravana do Cordel se reuniu mensalmente por cerca de 6 a 7 meses nos primeiros sábados de cada um.

Aos poucos foi conquistando espaço e respeito. Em alguns encontros o Cine Clube ficou pequeno para abrigar tanta gente. O trabalho feito pelos poetas em Escolas e universidade, a inserção de alguns outros no meio social e uma rede de amigos virtuais engajados levaram a Caravana conseguir atrair centenas de pessoas à Rua Augusta para ver o desfile da poesia cordeliana, regada com música, vinho e rapadura, por entre um público cativante.

Do ano 2008 para cá certamente a Caravana do Cordel ou parte de seus membros já fizeram mais de duas centenas de apresentações enaltecendo sempre a importância e o valor do cordel, sua maior razão de existir.

Nesses dois anos contados a partir dos eventos iniciados no ano de 2008, foram realizadas homenagens, palestras, seminários, shows, enfim tudo que foi possível e honroso para colocar o cordel no pedestal que sempre mereceu estar.

Depois de certo tempo na Augusta, a Caravana viu que sua finalidade era maior do que ficar apenas em uma rua esperando que o povo fosse ao seu encontro, resolveu que chegara a hora de fazer as malas, ir aos bairros, periferias, colégios, cidades, enfim onde tivesse um espaço clamando por poesia e se tornou um movimento itinerante. Foi ao encontro das pessoas, conquistou novos espaços, não só físicos e geográficos, mas também no coração das crianças, jovens e adultos.

Foi a outras cidades e estados levando o cordel a exemplo de: Pouso Alegre e Uberlândia – MG; Sorocaba, São Bernardo do Campo, Diadema, Várzia Paulista; Ribeirão Pires, Mauá, Guarulhos, enfim a tantos outros lugares.

É por estas e tantas outras razões que hoje nos reunimos com você para comemorarmos a existência desse grupo de sucesso, que humildemente e com coragem vem mostrando que literatura e cultura não têm fronteira, que inexiste o popular e o erudito, e sim a cultura que não tem credo, raça, camada social e cor. O cordel é assim, não foi você que escolheu está aqui hoje, mas o cordel escolheu você. São Paulo tem milhões de pessoas, mas é você que está aqui e sua presença é indescritível.

Em nome do cordel que é maior do que qualquer poeta aqui presente, sinta-se abraçado e abraçada, aproveite este encontro para que transformemos o mundo em “um mundo de cordel para todo o mundo” e que o cordel esteja sempre presente em sua vida.” Muito obrigado!

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

VI ENCONTRO DE ESCRITORES DE CORDEL


Com Pedro Monteiro e Cleusa Santo

Ambos escritores fazem parte da Caravana de Cordel um movimento-escola, que traz a literatura de cordel para o grande público.

O escritor Pedro Monteiro tem feito referência à obra de Ariano Suassuna, relatando as peripécias dos personagens João Grilo e Chicó em seus folhetos. A poetisa Cleusa Santo traz para o cordel, uma personagem de clássico da literatura infantil: Chapeuzinho Vermelho.
11 de novembro, quinta-feira, às 19h.

Biblioteca Pública Belmonte
Rua Paulo Eiró, 525 -
Santo Amaro - 04752-010
Tel: (11) 5687 0408 e (11) 5691 0433

E-mail: bmbelmonte@yahoo.com.br

Fonte: http://fotolog.terra.com.br/contoseversos

domingo, 31 de outubro de 2010

CORDEL TAMBÉM É ATRAÇÃO NA PRIMAVERA DO LIVRO



Do dia 01 a 15 de novembro, a Livraria Cultura do Conjunto Nacional vai expor uma seleção especial de livros das editoras da LIBRE, além de receber uma extensa programação de eventos gratuitos para o público adulto e infantil.
Juntamente com outros autores participarei de uma noite de autógrafos, veja a programação:

Quinta-feira 04 DE NOVEMBRO

Autógrafos – Artes
20h00—21h30

Lançamentos:

A Gangue dos Vampiros, de Adriano Messias (ALIS).
O tambor do Mestre Zizinho, de Wilson Marques (Mercuryo Jovem).
A maravilhosa semente de pêra e outras fábulas populares de todo o mundo, de Israel Jelin (Dubolsinho).
Contos de Cordel – Branca de Neve, Irmãos Grimm, de Varneci Nascimento (Panda Books).

AGENDA
Primavera na Cultura - São Paulo2010De 01 a 15 de novembro de 2010, das 9h30 às 21h30Livraria Cultura do Conjunto NacionalAv. Paulista, 2073 – São Paulo/SP
Informações pelo telefone (11) 3170-4033 ou pelos sites: www.livrariacultura.com.br/eventos e http://www.libre.org.br/

sábado, 30 de outubro de 2010

CORDEL SE ESPALHA POR TODOS OS RECANTOS


No mês de setembro, a convite do poeta Assis Coimbra, estive em Ribeirão Pires ministrando oficina sobre a arte do cordel juntamente com o doutor Aderaldo Luciano. Na oportunidade discutimos a poética do cordel, sua história e conjuntura atual dessa arte que vem conquistando milhares de leitores Brasil afora. Isso demonstra que o cordel é uma poesia forte e capaz de mover corações. O evento proporcionado pelo nosso confrade Assis não está fora desse contexto cordeliano que se espalha gradativamente. Prova disso é o aniversário de dois anos da CARAVANA DO CORDEL que acontecerá no dia 13/11 no Memorial da América Latina ao lado do metrô Barra Funda.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

SALVADOR EM CORDEL - ROUXINOL & VARNECI



MINHA PRIMEIRA PARCERIA COM O POETA VARNECI NASCIMENTO - O livro fará um passeio pela história, personagens, pontos turísticos e patrimônios de Salvador, capital da Bahia. Será ricamente ilustrado por fotos de Iraildes Mascarenhas e gravuras de Kazane.
EDIÇÃO que integra a coleção CAPITAIS BRASILEIRAS EM CORDEL da Editora IMEPH.
EM BREVE NAS MELHORES LIVRARIAS DO PAÍS!!!

CONFIRAM A INTRODUÇÃO:

Oh! Musa de Castro Alves
Revela-nos teus arcanos
Pra viajarmos na história
Desde os mais remotos anos
Descrevendo a capital
Dos soteropolitanos.

Que o Senhor do Bonfim
Venha nos servir de guia
Nos inspirar belos versos
Repletos de poesia
Pra cantarmos Salvador
A capital da Bahia.

Fonte: http://fotolog.terra.com.br/rinare

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

CARAVANA DO CORDEL COMEMORA DOIS ANOS DE ATIVIDADES


No próximo dia 13/11 a partir das 15:30h., a Caravana do Cordel fará uma grande festa de comemoração pelos seus dois anos de atividades. O evento promete ser um grande fuá, com a presença já confirmada de diversos artistas que prestarão sua homenagem a este MOVIMENTO ESCOLA que tem feito história por este Brasil afora.

O evento acontecerá no Memorial da América Latina vizinho ao metrô Barra Funda.

A Caravana do Cordel é movimento escola formado por professores, poetas, cordelistas, cantores, declamadores, músicos, atores, repentistas, xilógrafos e folcloristas e por pessoas que produzem arte de qualidade.

Anote ai na sua agende porque queremos contar com a presença de todos que nos ajudaram a construir esse grupo de sucesso.

Em breve mais informações:

Contato:

jgscordel@ig.com.br João Gomes Sá

varnecicordel@yahoo.com.br Varneci Nascimento

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

CARAVANA DE CORDEL RETORNA À BELMONTE


No próximo Sábado, às 16h, a Caravana de Cordel faz nova parada, agraciando os presentes com muita poesia, contação de causos, música e alegria.

A Caravana do Cordel é um movimento-escola itinerante formado por professores, poetas, cordelistas, cantores, declamadores, músicos, atores, repentistas, xilógrafos e folcloristas nordestinos radicados em São PauloI. Invadirá mais uma vez o auditório Kiyomi Oba na Biblioteca Belmonte, trazendo muita poesia e alegria. Declamações, contação de Causos, apresentações musicais para os presentes.
Nesse evento a poetisa Cleusa Santo lancará mais uma obra intitulada O CASAMENTO DA CHAPEUZINHO VERMELHO. Veja abaixo as primeiras estrofes:

Toda menina donzela

Tem medo do caritó

Porque, para quem não sabe,

É uma coisa de dar dó:

Quando uma moça não casa

E vive pra sempre só.


Menina que vira moça

É louca pra se casar.

Preste bastante atenção

No que agora vou contar:

A história da menina

Que sua vida quis mudar.


A Chapeuzinho Vermelho,

Era este o nome seu,

Um autor bem conhecido

A sua história escreveu.

Só esqueceu-se do príncipe

No enredo que lhe deu.


Venha e traga os amigos e a família para esta viagem maravilhosa.

Dia 09/10, Sábado, às 16h

Biblioteca Pública Belmonte
Rua Paulo Eiró, 525 - Santo Amaro - 04752-010
Tel: (11) 5687 0408
e (11) 5691 0433
E-mail: bmbelmonte@yahoo.com.br

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

COLEÇÃO SABER DE TUDO, EM SEUS NOVOS TÍTULOS, ABORDA CONTOS DE FADAS E CORDEL


A coleção Saber de Tudo, lançada há três anos, conta com títulos que valorizam a diversidade e a pluralidade cultural. Abordando temas como filosofia, religiosidade, arte e entretenimento, a Saber de Tudo acaba de ganhar mais dois novos volumes: Breve História da Literatura de Cordel, escrito pelo estudioso do assunto, Marco Haurélio, e Os Contos de Fadas, da pesquisadora, escritora e contadora de histórias Ana Lúcia Merege.

Considerada por muito tempo literatura menor ou subliteratura, o Cordel nordestino, desde o século XIX vem cumprindo um papel fundamental na história da cultura brasileira. A partir do poeta pioneiro Leandro Gomes de Barros (1865-1918), o Cordel se firmou como a leitura favorita de milhões de brasileiros, influenciando nomes como Mário de Andrade, Orígenes Lessa, Jorge Amado, Ariano Suassuna e Carlos Drummond de Andrade. Breve História da Literatura de Cordel refaz o percurso da poesia popular — da origem paraibana à consolidação dos dias atuais, com sua adoção nas salas de aula.

Já Os Contos de Fadas: origens, história e permanência no mundo moderno, resultado de uma minuciosa pesquisa, apresenta as raízes dos contos populares, sua disseminação e as obras de referência sobre o assunto. Além dos famosos Charles Perrault e Irmãos Grimm, a autora apresenta as obras precursoras, como os poemas épicos da Grécia, Ilíada e Odisseia, os contos indianos, passando pelo livro das Mil e Uma Noites, até os nossos dias. São mostradas também as muitas correntes de pensamento que suscitaram interpretações diversas dos contos de fadas.

BREVE HISTÓRIA DA LITERATURA DE CORDEL
Marco Haurélio
ISBN 978-85-88386-91-4
112 pp. Preço: R$ 17,00

OS CONTOS DE FADAS: ORIGEM, HISTÓRIA
e permanência no mundo moderno
Ana Lúcia Merege
ISBN 978-85-88386-39-6
88 pp. Preço: R$ 17,00

LANÇAMENTO:

Data: terça-feira,05 de outubro de 2010, das 18:30 às 21:30.
Local: Livraria Martins Fontes.
Endereço: Av. Paulista, n° 509 - Cerqueira César - São Paulo - SP
Com estacionamento conveniado
Fonte: http://fotolog.terra.com.br/contoseversos

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

IV ENCONTRO DE ESCRITORES CORDELISTAS - CORDEL, RESISTÊNCIA E VANGUARDA


Encontro do público com o poeta Aderaldo Luciano, doutor e mestre em Ciência da Literatura, área de concentração poética, com tese e dissertação sobre Literatura de Cordel. A apresentação mescla pedagogia, entretenimento e cultura, numa proposta que visa construir leitores e ouvintes críticos quanto ao manuseio da literatura e da música tradicionais do Nordeste.

Aderaldo remete os interlocutores a uma viagem pelo nordeste através da música e da poesia, apresentando instrumentos musicais característicos do nordeste como zabumba, triângulo, sanfona, pandeiro e rabeca. Segundo ele, é imprescindível formar repercutores quanto à aplicação deste corpus poético-musical em sala de aula, nos palcos e na vida.

A apresentação tem o patrocínio exclusivo da Editora Luzeiro, maior casa publicadora de cordéis do Brasil.

SERVIÇOS

Dia 30 de Setembro às 19h

Rua Paulo Eiró, 525

Santo Amaro - 04752-010
Tel: 11 5687-0408 e 11 5691-0433
bmbelmonte@yahoo.com.br


segunda-feira, 27 de setembro de 2010

LUCINDA RECEBE XVII TROFÉU MULHER EM SOL MAIOR



O troféu MULHER EM SOL MAIOR, considerado pela Mídia Impressa como o “OSCAR DA MULHER BRASILEIRA”, premia o envolvimento, o talento e a produtividade de mulheres formadoras de opinião que se destacam em suas áreas de atuação.


Lucinda RECEBERÁ ESTA HOMENAGEM

SERVIÇOS
Data: 28 de setembro de 2010.
Local: Teatro Paulo Autran, que fica no Campus Santo Amaro da UniÍtalo
Endereço: Av. João Dias, 2046-Santo Amaro SP-SP(100 m. após a Igreja Universal, próximo ao Itaú)Horário: 19h00 Recepção no saguão do teatro19h30 Solenidade de Premiação
Foto: da esq., para dir. Andrea Souza, Crispiniano, Andréia Regis LUCINDA a Homenageada, eu e Moreira de Acopiara.

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

CARAVANA DO CORDEL FAZ PARADA NA VILA DA PAZ


No próximo dia 25 de setembro, das 17 às 20h a Caravana Do Cordel fará mais uma parada na zona sul de São Paulo. Desta vez o evento será coordenado pelo ator e também caravaneiro Pedro Cosmos.

Teremos o lançamento do cordel O MISTÉRIO DA PELE DA NOVILHA de Josué Gonçalves, publicado recentemente pela editora Luzeiro, além de música, causos, feiras de livros, folhetos, xilogravuras, enfim o que há de melhor dentro desse grupo que se tornou um estilo de vida para muitas pessoas.

Serviços:

Local: CEI NICARÁGUA (CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL)

Endereço: RUA RIO PARAÍBA, 5, Vila Nicarágua / Vila da Paz - 5666-6404

Qualquer coisa ligar para Pedro Cosmos 9794-1505

sábado, 18 de setembro de 2010

CANTE ESSE REFRÃO POR AÍ É NOVO LANÇAMENTO COSTA SENNA


Aconteceu no Espaço Cultural Periferia no Centro, no Auditório da Ação Educativa o show de lançamento do novo trabalho CANTE ESSE REFRÃO POR AÍ de Costa Sena. O evento foi muito prestigiado contando com a presença de diversas pessoas. O cd contém 14 faixas, algumas de autoria e outras feitas em parcerias com cantores e poetas.

Costa Senna é também poeta e membro da Caravana do Cordel com vários livros e folhetos editados. Desejamos ao artista muito êxito nesse novo trabalho.

Contato para show

(11) 2552-244 / 9448-2049

costasenna@gmail.com

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

COSTA SENNA LANÇA MAIS UM CD


O cantor e poeta Costa Senna, a Bodega do Brasil e a Ação Educativa convidam para o show de lançamento do CD "Cante esse refrão por aí!"

PROGRAMAÇÃO:

O cantor e poeta Costa Senna recepciona as amigas e os amigos a partir das 16:00 h. No local estarão expostos alguns trabalhos do artista, tais como CD's, livros e folhetos de literatura de cordel.

Conduzida pela jornalista e poetisa Daniella Almeida a abertura do evento se dará às 17:00 h com alguns rápidos depoimentos de amigos e apresentações artísticas, assim programadas:

• Eleilson Leite - coordenação executiva da Ação Educativa

• Luiz Wilson: cantor, compositor e radialista.

• Sonia Couto - educadora e coordenadora do Centro de Referência Paulo Freire

• Rhayfer: cantor e compositor

• Roberval Freire - coordenação SPM - Serviço Pastoral dos Migrantes

• Meramolim: cantor e compositor

• Marco Haurélio - poeta e pesquisador, membro fundador da Caravana do Cordel e representante da Editora Nova Alexandria

• Chico Alves: cantor e compositor

• Sylvio Passos, Carluz Bigode, Henriqueixas e a historiadora Luciane Alves - autênticos representantes do Raulseixismo

• A partir das 18:00 h, o show de lançamento do CD com Costa Senna e Grupo UnirVersos.

Formação do Grupo UnirVersos: Costa Senna, Ornela Jacobino, Tiago Stocco, Anderson Brasil e Júbilo Jacobino. Participação especial da cantora e produtora cultural Fatel Barbosa.

SERVIÇO:

18/09/2010 - SÁBADO

das 16:00 h às 20:00 h

Local: Espaço Cultural Periferia no Centro

Auditório da Ação Educativa

Rua General Jardim, 660 - Vila Buarque - São Paulo - SP

Fone: (11) 3151-2333 - ENTRADA FRANCA

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

PROFESSORES E ALUNOS DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS SE ENCANTAM COM O CORDEL


No último dia 02 de setembro, estive na cidade de São José dos Campos juntamente com o poeta e professor Aderaldo Luciano, na escola Professora Ruth Coutinho Sobreiro, ministrando três oficinas de cordéis. A primeira foi para os professores e as demais para duas turmas de alunos que participarão em outubro de uma grande exposição tendo o cordel como tema norteador. O evento foi muito descontraído, além do mais, o cordel, por onde passa, encanta pessoas de todas as idades. Em cada oficina ou palestra alguém é despertado para o mundo da poesia. Tem sido interessante fazer esse trabalho aliando o cordel e o conhecimento teórico, uma oportunidade para as pessoas conhecerem o poder e a importância dessa literatura.

domingo, 5 de setembro de 2010

LUZEIRO LANÇA VISITA DE LAMPIÃO A PADRE CÍCERO NO CÉU


A editora Luzeiro, a mais tradicional no ramo do cordel, lança VISITA DE LAMPIÃO A PADRE CÍCERO NO CÉU, mais uma obra de minha autoria, completando assim 9 obras por esta casa publicadora. Este título havia sido editado em 2002 pela Coqueiro de Recife e agora revisto e ampliado sai com a capa de Eduardo Azevedo e com boas sugestões dos confrades Rouxinol do Rinaré, Pedro Monteiro, Aderaldo Luciano e Marco Haurélio. Mais um cordel relacionado ao cangaço, que se junta a tantas outras existentes no mercado.

Veja abaixo as primeiras estrofes:

Santo e Poderoso Deus,

A quem dirijo minha fé,

Minha prece, meu respeito,

Sabendo o Senhor quem É,

Não me deixe naufragar

Ao ponto de duvidar

Como um dia fez Tomé.


Vou narrar com teu auxílio

Uma história interessante.

Não quero brincar contigo,

E imploro Pai, neste instante,

Perdoe-me se for pecado,

Mas o que vai ser contado

Acho demais importante.


Um dia, pensando, veio

A minha imaginação

As cenas de um encontro

Reunindo Lampião,

O terrível cangaceiro,

E o santo de Juazeiro,

Padre Cícero Romão.


Todo mundo já conhece

A fama do bandoleiro

E como ele assombrou

O Nordeste brasileiro.

Impondo sua própria lei,

Lampião virou o rei,

Em nosso sertão inteiro.

Quer conhecer o resto da obra? Adquira já o seu exemplar.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

JOSUÉ GONÇALVES LANÇA NOVO CORDEL PELA LUZEIRO


O cordel tem revelado grandes talentos por Brasil afora e em São Paulo não é diferente. Muitos poetas trazem a lume novas obras que vão aos poucos encantando centenas de leitores. A Caravana do Cordel divulga e a Luzeiro publica autores que têm prestado um grande serviço ao cordel a exemplo de Pedro Monteiro, Nando Poeta, Carlos Alberto entre outros. Agora o Josué que apresenta sua segunda obra O MISTÉRIO DA PELE DA NOVILHA, uma história bem narrada que prenderá a sua atenção. Só lendo para ver a beleza poética com que Josué, autor também de O CORONEL AVARENTO, mostra nesta segunda empreitada poética.

Veja as primeiras estrofe:

Bem assim que me contaram

O que eu conto e reconto.

Se é verdade, eu não sei,

Pois quem conta, aumenta um ponto

E a tendência da história

É crescer, de conto em conto.


Numa noite muito escura,

Entre raios e trovões,

Um homem bateu à porta

Da casa de João Simões

Que, apesar da noite alta,

Acolheu-o sem sermões.


Proveu-lhe um bom jantar,

Oferecendo-lhe pousada,

Quando foi pela manhã,

Serviu-lhe boa coalhada.

Como bom anfitrião,

Não mostrou cara amarrada.

domingo, 29 de agosto de 2010

CIDADE TIRADENTES RECEBE POETAS DA CARAVANA DO CORDEL


Foi por ocasião do lançamento do cordel JOÃO GRILO, UM PRESEPEIRO NO PALÁCIO, de autoria de Pedro Monteiro.

O evento contou, além da presença de bom público, com participação de alguns poetas, atores e cantadores que compõem a Caravana do Cordel.

Destacamos o notável apoio do ator e diretor teatral Zé Mauricio além de Gregório Nicoló, (Editora Luzeiro), João Mendes, Varneci Nascimento, João Gomes de Sá e Aldy Carvalho (Poetas). O Caravaneiro ator Pedro Cosmos teve importante participação neste evento, interpretando o texto “Me enganei com a minha noiva” de autoria de Luiz Campos. Mais uma vez ficou provado que o cordel é um estilo de vida.

sábado, 28 de agosto de 2010

CARAVANA DO CORDEL PARTICIPA DE SARAU EM SÃO BERNARDO DO CAMPO


Organizado pelo poeta Moreira de Acopiara, membro da Caravana do Cordel, este grupo participou no último dia 27 de um sarau na Biblioteca Monteiro Lobato, juntamente com outros bardos da cidade. O evento foi recheado de poesia, música e causos. A Caravana vem se destacando pelo trabalho itinerante que tem feito em toda a cidade de São Paulo e até em outros estados, pois “o cordel é um estilo de vida”, e por isso, a Caravana quer transformar o mundo, “em um mundo de cordel para todo mundo”.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

CIDADE TIRADENTES RECEBE POETAS E CANTADORES DA CARAVANA DO CORDEL



SERÁ NO LANÇAMENTO DO FOLHETO JOÃO GRILO, UM PRESEPEIRO NO PALÁCIO, DE AUTORIA DE PEDRO MONTEIRO

O evento será no próximo sábado dia 28 de Agosto as 15:00h na AÇÃO COMUNITÁRIA SENHOR SANTO CRISTO – Rua Sto. Rizzo, 120 - Cidade Tiradentes, e traz na garupa grandes poetas, Cantadores e fazedores da arte popular. Teremos recitação, música e exposição de folhetos, e a sua presença, é claro!
Venha juntar-se a gente bonita e inteligente!

sábado, 21 de agosto de 2010

CARAVANA DO CORDEL PARTICIPA DA 6ª ORQUIVÁRZEA EM VÁRZEA PAULISTA


Acontece de 20 a 23 de agosto na cidade de Várzea Paulista a 6ª Orquivárzea que é a Exposição das mais belas orquídeas do Brasil e muita música em um espaço para toda a família. A convite do cantor, poeta e declamador Eufra Modesto, a Caravana do Cordel, se apresentou neste grandioso evento, levando poesia e música, através dos seus membros. Foi uma festa super legal, onde tivemos a oportunidade de mostrar a grande potencialidade do cordel. Se apresentaram cantores e poetas tais como: Luiz Wilson, Cacá Lopes (com sua filha Rafaela), Moreira de Acopiara, Aldy Carvalho (acompanhado pelo “Bá”), João Gomes de Sá, Jackson Ricarte, Pedro Monteiro e eu, além do anfitrião Eufra Modesto contando belos causos. Estava presente no evento o Gregório Nicoló grande entusiasta da Caravana do cordel e diretor da Editora Luzeiro.

sábado, 14 de agosto de 2010

CARAVANA DO CORDEL RECEBE POETAS BAIANOS



Antônio Barreto, poeta baiano, participou brilhantemente do Encontro da Caravana do Cordel na Belmonte, no último dia 14/08. Professor que tem levado essa literatura as escolas de Salvador e também no interior do Estado. Estava também presente no evento Rita acompanhando o poeta. Barreto recitou, tocou gaita, enfim mostrou o que é possível fazer com o cordel.
Franklin Maxado recitou, teatralizou, pulou e caiu no chão, tudo para mostrar a versatilidade do cordel, que é realmente “um estilo de vida”. Esse poeta foi um dos primeiros a levar o cordel em São Paulo a vários recantos da cidade. Radicado atualmente em Feira de Santana, Maxado tem feito do cordel uma arma poderosa na divulgação dos valores regionais e nacionais.
Obrigado pela presença dos dois ilustres poetas, vocês fizeram a Caravana do Cordel ficar ainda mais bonita.
Outro destaque do evento foi o lançamento do livro AS BABUCHAS DE ABU KASEM do poeta Marco Haurélio, pela editora Conhecimento, dirigida pelo Flávio Martins que prestigiou todo evento.

sexta-feira, 13 de agosto de 2010

FRANKLIN MAXADO E ANTÔNIO BARRETO PARTICIPAM DA CARAVANA DO CORDEL


Neste sábado, o evento da Caravana do Cordel, na Belmonte, que começará a partir das 16 horas contará com duas presenças ilustres que vieram da Bahia participar da Bienal do Livro e vão festejar conosco, participando da Caravana do Cordel. Franklin Maxado radicado em Feira de Santana e Barreto em Salvador são dois poetas engajados que buscam divulgar o cordel em todos os cantos. Desde já nos sentimos honrados com a presença de vocês.

Nesse evento Marco Haurélio lancará o livro AS BABUCHAS DE ABU KASEM.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

DAS FEIRAS PARA A LIVRARIA



Adriana Del Ré



Das feiras populares nordestinas às livrarias. Esse tem sido uma travessia cada vez mais comum para o cordel, gênero literário genuinamente brasileiro. Vindo da tradição oral e, depois, publicado como folheto a preços baixos, esse tipo de poesia popular passou a ser editado no formato de livros, sobretudo nas adaptações de clássicos mundiais. O mercado editorial interessado nesse filão acaba de ganhar reforço: a nova coleção Contos em Cordel, da Panda Books, que inicia suas atividades com dois títulos: Branca de Neve, dos Irmãos Grimm, e O Pequeno Polegar, de Charles Perrault.
Nesta primeira edição, cada um deles foi lançado com tiragem de 3 mil exemplares. As adaptações dos dois clássicos para o cordel são de autoria de Varneci Nascimento e as ilustrações , de Rogério Coelho (O Pequeno Polegar) e Andrea Ebert (Branca de Neve). “Nossa ideia é lançar dois livros por ano”, diz Varneci. Estudioso dessa literatura, ele é autor de mais de 200 obras em cordel, das quais 52 já foram publicadas no formato de livros ou folhetos.
Além disso, ele também presta consultoria à tradicional Editora Luzeiro, baseada em São Paulo e há 60 anos especializada na publicação de folhetos de cordel. “Decidimos mexer no nosso catálogo para valorizar essa cultura”, diz Tatiana Fulas, coordenadora editorial da Panda Books. Segundo ela, a coleção tem como alvo o público infanto-juvenil, a partir dos 9 anos, como ferramenta para auxiliar nessa fase importante de formação de leitores. “O professor pode trabalhar esse material rico com os alunos, comparando a narrativa com a poesia”, sugere a coordenadora da Panda.
Aliás, o fato de o cordel ter sido recomendado dentro das salas de aula pelos Parâmetros Curriculares Nacionais, do MEC, fez com que as editoras investissem ainda mais nas próprias coleções do gênero. “No ano passado, só para a rede pública de ensino, vendemos cerca de 26 mil exemplares de cada um de três títulos, que são adaptações de A Megera Domada, O Corcunda de Notre-Dame e Os Miseráveis”, afirma Marco Haurélio, que já trabalhou na Luzeiro e atualmente coordena a coleção Clássicos em Cordel, da Editora Nova Alexandria.
“O cordel publicado em livro ainda causa estranhamento, porque alguns pesquisadores o relacionam com folhetos. Mas a literatura, como um todo, precisa acompanhar a evolução. Podemos manter o pé na vanguarda, sem abandonar a tradição”, diz.
Há quem diga que o cordel tenha nascido no Brasil, sem qualquer herança externa, como defende Varneci Nascimento. Outro pesquisador do assunto, Haurélio também defende essa legitimidade nacional do gênero, mas acredita que haja matrizes longínquas em lugares como Europa e África. “O cordel nasceu na Paraíba, no final do século 19. Um dos nossos primeiros cordelistas – senão o primeiro – foi Leandro Gomes de Barros. Ele criou todos os temas trabalhados até hoje”, conta Haurélio.
Importante editora cearense especializada em cordel, a IMEPH começou a atuar fortemente no mercado editorial a partir de 2005. “De 70% a 80% dos títulos que editamos é em formato de cordel”, diz Lucinda Marques de Azevedo, sócia da editora. Atualmente, a rede de ensino pública é uma das principais parceiras da empresa. “A venda em livrarias ainda é muito pequena. Nos últimos 3 anos, o total de títulos vendidos em cordel chega próximo a 200 mil exemplares”, diz ela.
“Entre 2007 e 2008, vendemos 98 mil livros para o projeto Alfabetização de Jovens e Adultos, do MEC”. A editora, que está se consolidando no Nordeste, quer expandir. “Nossa ideia é conseguir distribuidores para ampliar a possibilidade de mercado para nós. Estaremos em São Paulo, para participar da Bienal do Livro”, diz.



Fonte: http://blogs.estadao.com.br/jt-variedades/das-feiras-para-a-livraria/


terça-feira, 10 de agosto de 2010

CARAVANA DO CORDEL RETORNA A BELMONTE


O Mundo do Cordel para Todo Mundo!

Com lançamento de Livros, música, cantoria, recital de cordel e de poesia matuta.

Feira de Cordel e Exposição de Xilogravuras.

O Movimento-Escola Itinerante Caravana do Cordel formado por Professores, Poetas Cordelistas, Cantadores, Declamadores, Músicos, Atores, Repentistas, Xilógrafos e Folcloristas, aporta na Zona Sul de São Paulo/SP.

Local: Biblioteca Belmonte

Rua Paulo Eiró com a Mário Lopes Leão – Praça Floriano Peixoto – Metrô Largo Treze - Santo Amaro
Horário: 16h00 - 14/08/2010

Será motivo de muita honra e alegria contar com a sua presença!

Venha com todos os amigos e familiares!

Confirme sua presença: varnecicordel@yahoo.com.br