segunda-feira, 10 de julho de 2017

SESC SANTO AMARO

Amigas e amigas nesta quarta feira as 19:00h., estarei novamente conversando sobre o CORDEL BRASILEIRO. Aguardo você.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

LITERATURA MARGINAL DE JUNHO

O Literatura Marginal desse mês foi mais um encontro magnífico, tivemos a oportunidade de conhecer o Bal, sua experiência e contribuição para a música na quebrada é algo que realmente nos impressiona, pois ele criou esse Bar Rock Bal para oferecer oportunidade a quem não tinha um local para se apresentar. A partir dessa sua oportunidade surgiram várias bandas de rock, de punk, enfim é uma história digna de um livro. Tivemos a oportunidade de conversar com o Bal e ele contou um pouco dessa experiência que marcou a zona sul de São Paulo. Em breve o nosso encontro estará na íntegra na internet para que todo mundo conheça a história do Bar Rock Bal.





sexta-feira, 23 de junho de 2017

DIÁLOGOS SOBRE LITERATURA NORDESTINA NA USP

Ontem a convite do amigo Eric Felipe, participei de um debate na USP cujo tema era a Literatura Nordestina, embora acredite numa cultura sem fronteira. Compus a mesa com os amigos Agnelo Bento que tratou do livro e do filme São Bernardo de Graciliano Ramos e Renata de Carvalho que focou na obra de Patativa do Assaré, enquanto eu discorri sobre o Cordel brasileiro e parte de minha humilde obra, além dos grandes mestres como Leandro Gomes de Barros. Foram quase três horas de debate, perguntas e respostas, um evento magnifico promovido pelos alunos de Geografia. Tive a felicidade de conhecer o professor Manuel cearense e amigo dos meus professores paraibanos. Fui recepcionado carinhosamente pelos alunos Ian e as duas Julianas. O evento foi maravilhoso, digno de ser repetido diversas vezes. Agradeço por nos proporcionar levar o cordel ao maior número possível de pessoas. Terminei a minha fala com um poema que fiz no trem a caminho da USP.

Desde menino eu sentir
Que seria de fato a sina
Percorrer nosso Brasil
Quiçá América Latina
Espalhando para os povos
A cultura nordestina.

A arte não se destina
Para alguma região
Ela extrapola fronteiras
Invade o seu coração
Mesmo sendo nordestino
Eu sou de toda a nação.

Pois a arte é feito o pão
Quando em casa se esquenta
Mesmo quem não sente fome
Sente o cheiro é não aguenta
Não resiste aos seus encantos
Chega junto e se alimenta.

Junto dela a gente enfrenta
Seja golpe ou ditadura
Se preciso até se esconde
Para beber a cultura
Que o coração da gente
Se aquece em literatura.

Há quem enfrente a tortura
Em busca da liberdade.
A mentira não suporta
Nenhum pingo de verdade
E todo falso se esconde
Em frente a cumplicidade.

Vir a essa faculdade
Tão cheio de alegria
Abraçar cada estudante
Que cursa geografia
Sou andarilho com fome
Do pão da sabedoria.

Confesso que este dia
Ficará na minha memória
Porque o nosso Cordel
Já galga os passos da Glória
Eu tão pequeno, pegando
Carona na sua história.

Nossa linda trajetória
Ganhe a maior estrutura
O estudo nos transponha
Para o mundo da ternura
Num coro digamos não
Para a torpe ditadura.

Usando a literatura
A gente não vai Temer
A quem descaradamente
Usurpou nosso poder
Que é papel literário
Gritar fora até morrer.

Quero aqui agradecer
Pelo convite maneiro
Feito ao aprendiz menor
Sem saber e sem dinheiro
Que finaliza dizendo
Viva o Cordel brasileiro.

Varneci Nascimento

Junho de 2017






quinta-feira, 1 de junho de 2017

COLÉGIO MAGISTER ADOTA O PEQUENO POLEGAR

Pela terceira vez voltei ao Colégio Magister para conversar com os alunos sobre o cordel brasileiro. Os alunos tiveram a oportunidade de ler o livro O Pequeno Polegar, publicado pela Panda Books, adotado pelo segundo ano consecutivo nessa instituição de ensino.
O bate-papo se deu com as turmas dos quartos anos da manhã e da tarde. Foram momentos descontraídos, acolhido calorosamente por Célia e Lucélia. Em seguida pelas professoras e os alunos. Após uma exposição a respeito do gênero cordel, fui sabatinado pelos alunos com perguntas inteligentes a respeito da poesia.
Da mesma forma aconteceu no período da tarde, os alunos indagaram sobre a vida de escritor. Agradeço a divulgadora Patrícia e ao Colégio Magister por nos ofertar a possibilidade de ter o livro sendo estudado por seus alunos. No segundo semestre voltarei ao colégio para conversar com os alunos do oitavo ano.








quinta-feira, 11 de maio de 2017

CORDEL NO COLÉGIO MIGUEL DE CERVANTES

Hoje a convite da Editora Nova Alexandria, juntamente com o poeta João Gomes de Sá estive no Colégio Miguel de Cervantes, localizado no bairro do Morumbi para falar sobre o Cordel brasileiro. Os alunos estão desenvolvendo atividades, usando este gênero literário e nós fomos bater um papo com as crianças dos quartos anos. Tivemos a oportunidade de mostrar a grandeza do cordel, além de perceber como esta literatura tem encantado os alunos daquela instituição. Recebidos com a bela música Asa Branca tocada por todos os alunos com as suas flautas brilhantes. Os alunos fizeram perguntas inteligentes a respeito desta literatura que vem encantando milhares de leitores por este Brasil afora. Agradecemos na pessoa da Rosana a acolhida calorosa de todos os professores e do corpo diretivo daquela escola. Esperamos voltar em breve para ainda mais nos alegrarmos com essa troca de conhecimento e experiência.







quarta-feira, 10 de maio de 2017

IMPERDÍVEL

O convite é para todos, mas sobretudo quem mora na zona sul de São Paulo, no próximo sábado Literatura Marginal, na Fábrica de Cultura ao lado do cemitério do São Luiz. Você é nosso convidado especial.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

II FEIRA NACIONAL DA REFORMA AGRÁRIA

Aconteceu entre os dias 04 e 07 deste mês a II FEIRA NACIONAL DA REFORMA AGRÁRIA no Parque da Água Branca, um evento recheado de alimentos saudáveis e para completar a festança não poderia faltar cultura, música, enfim essas coisas maravilhosas que enriquecem ainda mais a nossa vida. Mais de 170 mil pessoas passaram por esta feira que se deu contra a corrente, enfrentando golpes e boicotes nas três esferas de poder, municipal, estadual e federal. O evento foi encerrado magistralmente pelo paraibano Chico César, um talento grandioso da nossa música. E nós estávamos lá para celebrar com esses lutadores sem terra, vindos de todas as partes do Brasil por mais este sucesso realizado com tanta grandiosidade.






quinta-feira, 20 de abril de 2017

A REVOLUÇÃO DOS FEIOS

É o titulo atrativo por si só, afinal são muitos os fraquinhos de feição, mas nesse caso se trata do livro escrito pelo baiano Nivaldo Brito dos Santos, conhecido no meio literário como Ni Brisant, autor que já conhecia há uns dois anos e sempre me agradei da sua poesia. Ontem terminei em lágrimas, a leitura desta obra que sendo prosa é toda poesia, portanto altamente recomendável aos amantes da boa literatura. Parabéns ao autor bem como ao Selo Povo por publicar este livro necessário, para que autores como Ni Brisant possam ocupar a cena literária brasileira. Amigos e amigas, feios e bonitos, prestigiemos esta obra, porque vale a pena ler quem tem algo a oferecer ao nosso deleite intelectual. Quem quiser adquirir basta chamar o autor por aqui mesmo que ele vende para o Brasil inteiro.



domingo, 16 de abril de 2017

UMA SEMANA SANTA E CULTURAL

A semana passada foi movimentada, pois já na terça feira participei pela segunda vez do sarau da Coperifa, lugar onde até os poros respiram poesia, parece que somos tomados de uma energia diferente. Na quinta feira, dia do Lava Pés estava na Escola Lineu Prestes em mais uma empreitada poética, a convite da produtora Telma Queiros, ao lado dos Repentistas amigos de São Paulo. Foi um momento singular, pois a EJA sempre é um público maravilhoso, sem contar a atenção e gentileza das professoras e professores da escola. Ontem sábado de aleluia encerei a semana com chave de ouro ao lado do Ferréz, Denis, Mauricio e com Cidinha Silva no Literatura Marginal. A semana realmente foi santa por Jesus Cristo ressuscitado hoje e pela poesia espalhada ontem. Obrigado a todos que de algum modo contribuíram para estes eventos acontecerem com tanto sucesso.








segunda-feira, 13 de março de 2017

LITERATURA MARGINAL COM FERREZ E NI BRISANT

No último sábado fui assistir o encontro LITERATURA MARGINAL com o Ni Brisant, convidado do Ferréz na Fábrica de Cultura São Luiz. Foi um evento maravilhoso não só pelos dois escritores como pela plateia que abrilhantou aquele momento sublime da literatura. Agradeço a deferência do Denis que junto com o Ferréz ainda me chamaram ao palco para recitar um poema. O evento foi um verdadeiro show. Parabéns a todos os envolvidos.





domingo, 12 de março de 2017

CORDEL E REPENTE NA ESCOLA PROFESSOR CARLOS AYRES

Na última sexta feira, a convite da produtora Telma Queiroz fui a Escola Professor Carlos Ayres, localizada na Avenida Dona Belmira Marin no Grajaú. A apresentação na escola foi um patrocínio do projeto REDES E RUAS, da Secretaria dos Direitos Humanos.
Durante o evento foi exibido o filme Pé de Parede sobre o cotidiano dos repentistas na cidade de São Paulo em seguida os repentistas Adão Fernandes e Félix Barbosa fizeram uma apresentação ao vivo para mostrar algumas modalidades do repente. Também tive a oportunidade de falar sobre o Cordel Brasileiro para cerca de 600 alunos. Desse modo o cordel e o repente vão alcançando cada vez mais espaço para que possamos formar novos públicos que apreciem em a nossa arte.





segunda-feira, 6 de março de 2017

PONTO DE VENDA DE CORDEL NA PRAÇA BENEDITO CALIXTO



Quem quiser adquirir cordel, agora tem mais um ambiente na cidade de São Paulo: basta chegar até a Praça Benedito Calixto, 159, em Pinheiros, onde fica o Espaço Cultural Alberico Rodrigues. Lá você poderá encontrar muitas obras do gênero. Alberico fundador do espaço, abriu as portas para que possamos disseminar esse gênero literário tão precioso e caro a cultura brasileira, criada pelo genial Leandro Gomes de Barros. Peço aos amantes do cordel brasileiro que divulguem este espaço para outras pessoas, a fim de que se dissemine ainda mais nossa literatura. Cada vez mais o cordel conquista espaço, atenda aos leitores e ganhe novos apreciadores deste gênero, presente por este Brasil afora.