terça-feira, 13 de maio de 2014

A MÃE ABANDONADA



No dia das mães os bons filhos mostram seus melhores sentimentos para homenageá-las, mas nem sempre é assim. Não deve existir uma dor maior para uma mãe do que ser abandonada pelos filhos, justo quem, ela mais deu carinho e amor, ou melhor, a sua vida. Uma mãe sem identidade, mas nem por isso anônima, amarga a dor do abandono e da indiferença... É o que veremos neste cordel que é um pedido de socorro e um alerta aos filhos desnaturados.

O valor de uma mãe
Presente caro não paga
Ouro nenhum lhe compensa
Ferrugem jamais estraga,
O amor de dez mulheres
Não preenche a sua vaga.

O carinho dessa figura
É algo tão valioso
Que salva um f ilho perdido
Acalma o outro nervoso
Abranda o f ilho valente
E transforma o orgulhoso.

(...)

— Onde estarão meus filhos
Que eram tão sorridentes
Como vivem, o que fazem,
Serão tristes ou contentes,
Amam os filhos que tiveram
Ou lhes são indiferentes?

Quando crianças, no colo,
Tantas vezes embalei.
Com o meu leite materno
Cada um amamentei
Dedicada e desvelada
A todos alimentei!

Estão todos ocupados
Que nem se quer tem lembrança
Dessa mãe abandonada
Tristonha sem esperança,
A quem só lhes deu carinho
Tem ódio como vingança.

Ah! Se eles entendessem
Que minha falta de sono
É por ficar neste asilo
Igualmente um cão sem dono
E sentirem como é triste
Sentir a dor do abandono!

Com os seus filhos, meus filhos,
Alegram o seu coração?
Cuidam deles como eu
Deles cuidei com paixão
E depois ser relegada
A mais triste solidão?

Esta capa foi feita pelo ilustrador André Mantoano
SERVIÇOS:
Tamanho: 15x11
ISBN 978-85-7410-051-7
Valor: R$ 3,00
Vendas pelo e-mail: vendas@editoraluzeiro.com.br


5 comentários: